O caminho do Xamã para além do véu

Xamã siberiana em trabalhos com Amanita Muscaria

Apesar do nome moderno, a Quimiognose não tem nada de nova. Terence McKenna, renomado escritor e etnobiólogo, cunhou inclusive uma teoria polêmica de que a evolução da espécie humana se iniciou através do contato dos humanos primitivos com substâncias alteradoras de consciência, fazendo com que a mente destes humanos dessem saltos evolutivos. Se isso é verdade, nunca saberemos. O fato é que a humanidade parece atraída pela idéia de modificar seus estados ordinários de consciência como mariposas para a luz, bastando olhar para a história da humanidade.

Os Vedas, considerados como os livros mais antigos da humanidade, cantam salmos e salmos para uma bebida chamada Soma, de procedência desconhecida, que era o néctar dos deuses para a humanidade. Um psicólogo judeu chamado Benny Shanon, após uma visita ao Céu do Mapiá (uma das principais igrejas do Santo Daime, religião brasileira que usa Ayahuasca em seus ritos), fez uma extensiva pesquisa sobre o Velho Testamento, e descobriu que várias das ervas citadas em suas passagens possuem propriedades alucinógenas.

Seria YHWH fruto de uma boa onda psicodélica? Dizer isso causaria furor nos maiores crentes, mas, porque não? Qualquer pessoa que tenha experienciado um trabalho com um alterador de consciência que ler A Visão de Ezequiel (primeiro capítulo do livro de Ezequiel, na Bíblia) fica no mínimo com a pulga atrás da orelha. Longe de anjos barrocos, Ezequiel descreve uma visão espiritual digna das mais sublimes mirações do Vinho das Almas, a Ayahuasca.

Porque, mesmo sabendo da extensiva história de povos indígenas do mundo todo e plantas alteradoras de consciência, ainda achamos uma hipótese como essa absurda e digna de ser rechaçada?

Séculos de doutrinação Judaico-Cristã nos colocam diante de um problema: nossos corpos não são nossos. Somos julgados e doutrinados segundo cartilhas moralistas, que não aceitam a idéia de uma pessoa chegar em sua casa e comungar de outra natureza de consciência, as vezes pelo simples prazer. Prazer, esse sim o fruto proibido do Jardim do Éden, que traz a perdição humana. O prazer está atrelado a vagabundos, a perdidos e iludidos. Pessoas justas são castas e limpas.

Justamente pelo fato de que existe tanta perdição envolvendo substâncias alteradoras de consciência, é que digo que este caminho para atingir a tão importante Gnose, a matéria prima de todo trabalho espiritual e magístico, é tão válido quanto qualquer outro método. Não é fácil trilhar o caminho da alteração de consciência. Pra quem pensa que terá atalhos, peço que reconsidere. As plantas ensinam, mas cobram seu preço. Como Caronte, que leva as almas pelo rio Estige, e sempre cobra uma moeda.

Cada substância é uma professora por si própria, e o magista deve encarar elas com a mesma pureza de espírito que possui ao entrar no círculo mágico, ou corre o risco de sofrer várias consequências.

Uma boa noite, meus irmãos. Me chamo Yod. Sou um errante que comunga de várias substâncias, na busca incansável pelo tesouro da Arca da Aliança. Eu sei que os querubins me olham a cada incursão na Natureza Divina, e baixo minha cabeça para eles em respeito. Aqui falaremos de coisas santas e profanas. Falaremos de vinho e estranhas drogas, dos limites da consciência humana, da imoralidade pura que rege os Sadhus em suas buscas. Entre Mão Direita e Esquerda, eu uso ambas para acender, puxar, prender e passar, enquanto entôo nomes divinos. E você está convidado para viajar comigo pela toca do coelho. O prazer com certeza será meu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s