Um rito de Mercúrio com várias visitas

Dia 17 de Fevereiro de 2021. Sol em Aquário. Lua em Touro.

A magia, como sempre, é uma caixa de surpresas. Mesmo com Mercúrio Retrógrado, nos preparamos para o rito, tendo uma idéia definida de seu intento, mas, de súbito, tudo pode mudar. Este ritual veio para ensinar várias lições, e uma delas é justamente a de que um ritual tem começo, meio e fim, e nunca devemos parar uma prática em seguimento. Dou inicio então em agradecimento ao Arcanjo Rafael, regente de Mercúrio, por tantas bênçãos recebidas… mas tudo isso iria mudar drasticamente, de uma forma muito marcante.

Consagramos da Santa Maria, para que seus encantos chegassem e iniciássemos envoltos em sua brisa. Sob sua influência, todas as passagens ritualísticas ganham força e sentido aprofundado. O rito de Trithemius nos leva para um mundo animista, onde conjuramos os espíritos dos objetos para que trabalhem adequadamente. É possível sentir a ressonância única de cada um deles, com os sentidos apurados pela energia canábica.

Porém, numa determinada parte das conjurações, batidas e gritarias no portão de casa. Em milissegundos, pensei no horário. Pensei que todas as pessoas possíveis que poderiam desejar falar comigo, teriam outra forma de acessar a minha pessoa. E logo cheguei a conclusão que seria mais um possível pedinte usuário de drogas, irmãos necessitados que as vezes rondam por aqui. A Cannabis aflora não somente seus sentidos físicos, mas sua intuição e percepção mediúnica. A pessoa estava com raiva, e nem um pouco bem acompanhada.

De repente, meu cachorro invade o templo, latindo incessantemente, entrando de ré no templo, como se latisse para algo… que não estava ali. Cachorro, um dos principais animais que simbolizam Mercúrio. Sempre deixo meus animais soltos em ritos, pois eles são grandes guardiões dos planos, e observo suas movimentações como pistas de como está a energia local. No momento, não tive nenhuma dúvida. O templo estava recebendo visitas de irmãos em extrema necessidade.

Mesmo com o banimento feito, mesmo com as purificações feitas, estávamos sendo visitados. Poderia pensar que havia feito algo de errado, mas sabia que não. Isso era diferente. Isso era um aviso. Pude sentir toda a vibração no ar de dor, de angústia, de confusão, um bolo energético de puro desespero pairando o templo. Em momentos assim, não é possível vacilar. A mente vai a mil lugares quando nos desconcentramos na experiência com Cannabis. Pude sentir claramente pensamentos de a prática deveria ser encerrada, algo confirmado depois por quem me acompanhava. Porém, mais de uma década de Ayahuasca me treinou para isso. Se parasse, toda aquela irmandade de sofredores ficaria ali. Clamando pelo Arcanjo, poderíamos manipular estas energias em favor deles.

Ainda bem que não estava acompanhado de amadores, e a concentração reinou no rito. Logo a pedinte foi embora, mas aquilo ainda nos acompanhava, e meu cachorro realizava sua função de guardião, latindo e girando em torno do templo. Acima de tudo isso, a força resplandescente do Arcanjo estava ali, um grande manancial de paz, cura e ensinamentos. Cores indescritíveis pulsavam nos arredores da mesa, nos cercando e mantendo o templo ativo. A certeza de que estávamos na direção certa. De repente, um misto de emoções, imagens e idéias pairavam na mente. “Confia e segue”. O comando era claro.

Após um tempo meditando na força da Santa Maria, clamando pelo auxílio destes irmãos, senti que deveria ir de encontro a meu cachorro, pois ele estava sendo um foco destes seres. Enquanto ocupavam meu lugar de comando, o abracei, e mentalizei “Venham comigo, deixem meu cachorro”. De súbito, vejo um homem do meu lado, muito sujo, sem comer a eras. No mesmo instante, meu cachorro, que havia parado de latir, reinicia a latir na mesma direção que vi o homem. Aqueles momentos de arrepio na alma.

De repente, imagens na mente. Dor. Fome. Falta de trabalho. Alguém queria comprar uma camiseta pro filho, mas sem dinheiro. Bebida para aliviar. Envolvimento com drogas. O sofrimento da morte. Uma torrente de sentimentos angustiantes se faz passar dentro de mim. Eram os irmãos acoplando em minha aura expandida pela força da Cannabis. O que era um rito de agradecimento, se torna um trabalho de socorro. Magia.

O rito foi encerrado, os irmãos foram encaminhados para locais de auxílio nos planos superiores. Eu penso que tinha vários artifícios magísticos a serem usados antes, para garantir um maior nível de segurança, mas nunca imaginei que precisaria. Eu entendi o recado. Quando você começa a realizar auxílio, logo é visto. A consciência expandida pela Santa Maria facilitou o acesso dos irmãos desencarnados, e que bom que permanecemos em concentração. Lições aprendidas. Mercúrio, como sempre, um Trickster, nos ensinando com uma rasteira. Ave Hermes.

Música: Quanta Luz, Lânio Thomaz

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s