PENTA MENOR

A minha espada elevo pelos ares,
invoco aos quatro cantos, quatro nomes.
No oeste, o escorpião que rege os mares.
Aponto aquário, a ânfora de um homem.

Num giro, acendo o fogo dos altares,
o hálito do arcanjo que consome.
Exalto a terra, o fruto dos pomares
que nutre cada ser na própria fome.

Encerro o circo selo o pensamento
astuto, que se oculta conta a conta.
Afasta-te! Obedeça o meu intento,

calai com teu ensejo, tua afronta.
A minha destra baila aos elementos
e ao centro brilha a estrela de seis pontas.

C.S.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s