O que tem no caldeirão do Bruxo?

Amor! Em resumo é isso.

Mas se quer algo mais, digo que no caldeirão há respeito, pela natureza, por si mesmo, pelas formas manifestas ou não de vida.

Um bruxo ou bruxa não colhe uma erva sem lhe pedir licença ou dar algo em troca. Não faz parte da vida de um bruxo (ou não deveria) a ideia de consumo inesgotável. Tudo é troca. A vida pede morte, a morte pede vida, e assim vai…

O respeito é pela água, pelo sal, pelas plantas, animais e semelhantes. Pois é parte da vida de um bruxo que se preze observar toda a manifestação da natureza, seja num cristal, ou um dragão imaginário (ou real!).

O caldeirão é a parte feminina, o útero simbólico de um bruxo ou bruxa. A colher o elemento masculino. Um contém o que irá nutrir e o outro transforma, transmuta, fertiliza e faz crescer o que irá sair dali.

Sim. Um bruxo e uma bruxa estão pra além de dualidades de masculino e feminino. Por mais que se atenham a uma forma, compreendem a transcendência, as polaridades existentes em tudo o que há.

O ciclo solar, lunar, as marés, fluxos hídricos, ventos, geologia, artes das mais variadas, cartomancia, geomancia, teias de aranha, borra de café, marcas no corpo, formas e jeitos, padrões e tendências, estruturas moleculares, odores, ossos, cabelos, tudo o que se imaginar, são livros e livros que um bruxo lê a todo momento. Nem se diga das plantas e animais, esses obviamente são bibliotecas inteiras.

O que os filmes ensinam sobre nós, sempre como alguém com um interesse escuso, más intenções, amargurado, perigoso ou maléfico, pode ser verificado se ousar despir-se de preconceitos.

Afinal, quem nunca acendeu uma vela, um incenso, soprou uma flor ou a despetalou? Fez um banho de ervas, uma oração quando se assusta, ou pra afastar coisas ruins? Quem não fez um desejo antes de soprar uma vela de aniversário, ou quando viu uma estrela cadente? Quem não deu soquinhos na mesa três vezes ou não pediu para encontrar objetos perdidos com pulos? Quem nunca observou que se o cozinheiro está de mau humor a comida faz mal?

A bruxaria está mais em sua vida do que imagina!

Se não gosta da ideia, ao menos respeite. Há sempre, inexoravelmente, dentro de um bruxo ou bruxa, uma pessoa sensível e amorosa, que se fere com facilidade, mas que nunca irá deixar perceber.

No caldeirão do bruxo tem amor, vida, alimento pra alma.

🧙🏼‍♂️ Malone

Música: Toss a Coin to Your Witcher, tema do seriado The Witcher.

Imagem: feijão acabado de fazer com funghi, arquivo pessoal.

No grupo do telegram em t.me/frater_malone tem mais reflexões sobre esse post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s