Flor d’água

A flor da pele
Na beira do abismo
No beiral da morte
Sou o cinismo

Prestes a cair
No quase-morte
Sou o tropeço
Mudo sua sorte

A flor da vida
Uma ferida
Tão decidida
Tão iludida

Começa a guerra
Dentro da mente
Enfia, enterra
Planta a semente

Uma dor de dente
Um desafio
Para arrancar problemas
Use o fio

Não perca o rumo
O fio da meada
Encontre a flor
Que não sente a geada

Uma guirlanda
Toda amarrada
A linha ocupada
Prende a fiada

Na beira d'água
Emoções soltas
À flor da pele
Ondas revoltas

Respira e para
Recomeça o bordado
Retorna à origem
O fim do traçado

Sou planta que bóia
Gingo na mente
A água da morte
S'u cinta, ser pente

Não me prendo à terra
A matéria é nada
A vida berra
Sou lotus, desatinada.

Malone

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s