Soltar

🍂 Ao longo da vida vamos crescendo e criando mecanismos para lidarmos com as durezas, dificuldades do processo de transformação. Quando atingimos um ponto determinado em que aparentemente não crescemos mais, acreditamos que é aquilo e está pronto, que agora estamos maduros e que há estabilidade, tal como uma árvore que atingiu seu tamanho “máximo”. O fato é que não existe pronto, não há o cheguei lá, pois o movimento é constante. Soltar essas proteções criadas, abrir e rasgar as cascas para dar lugar a outras, soltar folhas para dar lugar a outras, se abrir para o novo, é parte do crescer que nunca acaba. Somos estáveis sabendo lidar com a movimentação constante. Soltar o medo do novo e se permitir viver outros amores, amar diferente, viver diferente, mesmo estando com as raízes onde sempre estiveram, é uma viagem para dentro, deslumbrante, que vale tanto a pena quanto chegar ao destino.

🌳 Malone

Música: From the new world, Antonín Dvořák.

No grupo do telegram em t.me/frater_malone tem mais reflexões sobre esse post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s