Andarilho

🧙🏼‍♂️ Baldrs Draumar, 13

A Völva falou: “Vegtam (andarilho) tu não és, como outrora eu pensava;
Oðin tu és, o deus antigo”.

🥖 Lc 24, 31

Então se lhes abriram os olhos e o reconheceram mas ele desapareceu.

😎 Ao desvendar o sonho de seu filho, sabendo que ia ser entregue à morte por uma traição, Odin se disfarçou de andarilho e procurou a Völva, vidente, para compreender o que iria ocorrer e se preparar. Usou de um disfarce para ter acesso ao que não seria revelado.

Nossa compreensão se encontra abaixo de muitos véus. Há camadas diversas que não são reveladas por nosso apego às ilusões. Para acessarmos nosso cerne é preciso certo artifício até que tenhamos segurança em abrirmos a guarda e então permitirmos que nosso tesouro seja acessado. Há muitos disfarces de que o divino se utiliza para se comunicar conosco, e somente quando alcançamos a compreensão é que a verdade pode se revelar. Até lá, ficamos presos à nossa própria “verdade” buscando ilusões para crer. Matamos o filho de Deus, nós mesmos em nossa ilusão, para que ele possa emergir de nosso inferno interior como verdade pura e sem véus, calcinadas as ilusões que o encobriam, nosso Eu verdadeiro, nossa verdadeira vontade.

🐺 Malone

Música: Vegtamskviðahttp://t.me/frater_malone, Vévaki.

No grupo do telegram em t.me/frater_malone tem mais reflexões sobre esse post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s