Suporte

Ó grimpantes gavinhas que escalam muros intransponíveis

Escandente erva que transpõe barreiras impossíveis

Que quebra expectativas e vai onde te dizem para não ir

Diz-me como fazer para alçar incomensuráveis alturas

E ir onde não sonhei jamais, sem cair de lá tal qual Ícaro com penas e cera.

Ó Lianas professoras, que me mostram o valor de um apoio

Sublimes herbáceas que escalam seus apoios, sem destruí-los, sem injuriá-los

Dignificam outrossim, cada degrau por onde sobem

Assim meus abraços quero dar, nos que me apoiam, me sustentam

Assim quero ser, frágil planta que ninguém faz conta

Faço conta de ti e me ancoro em seus ensinos, queridos brotos

Vou galgar cada etapa, cada tronco, ombro, pescoço, cabeça, telhado e muro que me colocarem

Abraçando-os com amor, com vigor e do alto serei frágil, mas vitorioso

E lá de cima me lembrarei de quando fui apenas semente,

Feliz, pleno, me abraçando, sendo eu mesmo meu apoio, meu muro, meu suporte.

Malone

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s