Posse

4♦️ At 4,32

A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém dizia que eram suas as coisas que possuía, mas tudo entre eles era comum.

✊🏼 Ser responsável por aquilo que cativa: Saint-Exupéry deixa claro em sua obra que a raposa não pertence, nem se deixou pertencer pelo pequeno príncipe, mas há uma responsabilidade para além da posse. Nossos elos de conexão com as pessoas, objetos, animais, plantas, nos ligam intrinsecamente, e dão uma ideia de unicidade que faz crer que algo nos pertença. Em verdade a conexão ocorre de formas a tornar um, e cada parte, o todo, em um mini sistema. Nada nos pertence. Não pertencemos a nada. Somos.

🕉️ Malone

Música: Mahavakya, Baghavan Sri Nithyananda Paramashivan.

No grupo do telegram tem mais reflexões sobre esse post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s