Cuidado

🕉️ Bhagavadgītā (III:35)

“Mais vale cumprir o próprio dharma, ainda que de forma imperfeita, do que cumprir de maneira perfeita o dever de outrem. É melhor sucumbir desempenhando seu próprio dever. É perigoso cumprir deveres alheios”.

🍽️ Aquele jogo de pratos que só usa para receber visitas, e quase nunca sai do armário. Aquela roupa chique que só veste para alguém importante. Aquela ideia maravilhosa que deu ao conhecido sobre o negócio dele. A atenção e cuidado que dispensa aos outros.

Todas essas situações quando são feitas apenas para o outro sem que antes tenha como foco primordial a nós mesmos, é vazia de sentido, é apenas busca por sua chama divina fora de onde ela se encontra, dentro de si.

Se o melhor prato, a melhor roupa, a ideia genial, a atenção e cuidados são direcionados a nós mesmos, estamos cumprindo nosso propósito de existência (Dharma), pois assim o amor encontra sua origem.

Depois de plenos, resolvidos quanto a nós mesmos, ao derramar isso no outro, somente assim, esse Dharma pessoal se conecta na teia divina, transcende o ser, e se expande. Antes disso, doar sem se olhar, não é doar. É fugir de si mesmo.

Lavar a louça apenas porque alguém irá ver, é tentar ter controle do que é do outro. Fazer isso por si mesmo, por amor a si, e assim agradar ao outro, é o começo de uma jornada maravilhosa, de transbordar amor.

🏵️ Malone

Música: Beija-flor, Udiyana Bandha

No grupo do telegram em t.me/frater_malone tem mais reflexões sobre esse post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s