Fruto Ficar

Era uma vez uma flor

Na ponta de um galho morava

Sua vida era ver sua cor

Seu perfume a inebriava


Ela brincava no vento

Se divertia com as borboletas

Dos pássaros o som e o lamento

Ouvia feliz, espoleta.


Certo dia alguém a visitou

Um colibri assanhado

No centro da testa a tocou

E saiu todo espevitado


Que desaforo foi esse!

Como assim? Seu abusado!

Chegar assim sem finesse,

Invadindo meu templo sagrado!


Mas eis que algo novo sentiu,

A flor não foi só visitada

Um presente o danado emitiu

De pólen largou uma pitada.


Animada a pobre florzinha

Tentou entender o que era

Se lembrou de sua vizinha

Tudo isso não era quimera.


Somente um lampejo de luz

A visita de um anjo alado

Alguém tão puro introduz

Em nós, tão fecundo legado.


A flor se viu transformando

Em fruto, em vida, em história

E um abacate chegando

Do abacateiro seria a memória.


As nossas ideias e crenças

São assim como a flor protegida

Ficam dançando, sentenças

Incertezas despertam pra vida.


Eis que tudo se move se cria

Se transforma, se ilumina

Nossos sonhos, nossa alquimia

Juntos, fortes, ninguém domina.


Um precisa do outro

Mesmo que se virem sós

Mas juntos curam a dor

De si mesmos, de você, de nós.


A flor nos deu abacate

Então também o colibri

De quem é o fruto? Empate!

Pouco importa, comi e sorri!


Espero que sempre visitem

Flores e frutos, asas

Que venham sejam, fiquem

Em minha vida, alma, casa.


Com amor, Malone.

Toda quarta-feira tem #saraumalonico no grupo do telegram

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s