Serra

Serra, serra, serra a dor
Cerra o papo, por favor
Encerra logo, sim senhor
A terra gira e muda, amor.

Ferra a ferro meu tambor
Guerra é fria sem calor
Berra os berros de temor
Senta e sente o fulgor.

Na Inglaterra ou no Timor
A gente enterra o torpor
Soterra sem tirar nem por
A ilusão e o pavor

Emperra o fluxo, o odor
Erra quem não viu valor
Aferra firme, prendedor
Desemperra o pudor

Dessa serra, o trovador
Aqui abaixo do equador
É o escrutinador
Sabe tudo ao derredor

Fico aqui tão pensador
Admirando, encantador
Quantos santos nesse andor
Tem silêncio acolhedor

Me calo aqui não sou ator
Protagonista amador
Só sinto a brisa, o vapor
Da terra e pó, curador.

⛰️ Malone

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s