Escre Ver

Angústias presas que se engole
Palavras pensadas e não tidas
Ângulos fechados no compasso
Goles de letras líquidas.

Bebo de inúmeras fontes
Serifas cortadas na mente
Pequeno círculo de amor
Por alguém, por si, só mente

Os pés presos no chão
Nos porões dos sonhos
Os dragões do calabouço
De castelos bisonhos

O teclado, o papel, a tela
Navio vazio, sem tripulação
Na escrita são embarcados
Personalidades, dissociação

Escrever liberta demônios
Anjos, cadáveres, crianças
Versos que das angústias
Dão passagem às esperanças

A nau que trafega a emoção
As águas, ondas, tormentas
Vômitos, expurgos, alento
Para quem experimenta

Compre o bilhete, vambora
Navegar na escrita, de boa
Não precisa ter um navio
Pode bem ser uma canoa

Barquinhos dobrados boiando
Descendo na enxurrada
Das lágrimas de quem aceitou
Soltar a emoção emperrada.

🛶 Malone

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s