Odoya

Dois, do dois
De dois mil e vinte e dois
Na bruma do mar, da espuma
Vem a rainha, ora pois

Somados são dez, Odu Ofun
Água de água ajuda constante
Vence barreiras
E segue adiante

Um dia auspicioso
Bom pra se renascer
De águas que purificam
Que enchem mar ao chover

Salve mãe querida e amada
De manto azul celeste
Abençoa santos homens
E também cabras-da-peste

Salva os filhos do mar
Firmeza nos dá desde Abeocutá
Na porcelana do altar
No Igbá de Yemanjá

As minhas honras ó mãe
Do abebé prateado
De idés, obé e conchas
Te vejo e sou abençoado

Sinto do mar a brisa
A força que vem de lá
Marinheiro me segure
Amo, Odoyá!

Malone




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s